GOIÂNIA

Victoria Dementieva é editora da Report News Agency em Baku, no Azerbaijão

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Como cidadã do Azerbaijão, o que você sente agora, depois que seu país recuperou as terras ocupadas?

Era o sonho de todo o povo azerbaijanes ver a devolução de nossas terras. Por quase 30 anos nossas terras estiveram sob ocupação, como resultado desse conflito, cerca de 1 milhão de azerbaijaneses tornaram-se refugiados e pessoas foram deslocadas internamente.

Ao longo de setembro e outubro, todos no Azerbaijão esperavam diariamente por notícias de que novos assentamentos foram libertados da ocupação armênia. E o dia em que nosso presidente anunciou a libertação de Shusha foi saudado por todo o povo com júbilo. Todas as pessoas lotaram as ruas das cidades celebrando e se parabenizando. Esta guerra e vitória uniram as pessoas. As cidades inteiras estavam cheias de bandeiras, é difícil descrever o sentimento de alegria e orgulho que nos dominou naquele dia. Afinal, um sonho de 30 anos se tornou realidade e a justiça histórica foi restaurada.

Mesmo durante a guerra, muitos cidadãos penduraram a bandeira do Azerbaijão nas janelas em sinal de apoio ao nosso exército.

LEIA TAMBÉM  Deputada Alê Silva tem projeto e relatoria aprovado na Comissão de Finanças e Tributação

Qual a importância da cidade de Susha para a cultura e história do Azerbaijão?

A libertação de Shusha sem dúvida se tornou um evento histórico muito importante. Esta cidade vive no coração de cada azerbaijanês. A cidade de Shusha é chamada de “a pérola do Azerbaijão”, “o conservatório do Cáucaso”. Esta antiga e mais importante cidade de Karabakh nos séculos 18-19, que desempenhou o papel de um importante centro cultural e político, que se tornou o local de nascimento de poetas geniais, grandes cantores e compositores, foi seriamente danificada em 1992 durante a guerra . Os armênios destruíram os monumentos do patrimônio cultural do Azerbaijão localizados aqui. E agora o processo de restauração está à frente. Além disso, a libertação de Shusha foi a tarefa mais importante do exército do Azerbaijão durante a guerra. A libertação de Shusha foi de importância estratégica para o Azerbaijão, o povo azerbaijanês e, de fato, predeterminou todo o resultado da guerra. Como observaram analistas políticos, Shusha é a chave para Karabakh.

Você conhece alguém que veio de uma dessas cidades ocupadas e teve que mudar de vida por causa da ocupação? 

LEIA TAMBÉM  ABERTO O CREDENCIAMENTO PARA PARTICIPAÇÃO DA AGENDA NO PARANÁ DO PRESIDENTE JAIR BOLSONARO A CONVITE DA DEPUTADA ALINE SLEUTJES

Muitos dos meus amigos e colegas de trabalho são deslocados internos de áreas ocupadas que agora já foram libertadas. De Fuzuli, Zangilan, Jebrail, Aghdam, Shusha. Claro, o conflito os afetou, quando suas famílias foram forçadas a deixar suas casas por causa da agressão armênia. Acontece que eles viveram a maior parte de suas vidas longe de suas casas, construíram suas vidas aqui( Baku), mas ainda assim guardaram boas lembranças de sua infância em sua cidade natal ou vila. Você deveria ter visto como eles se alegraram com lágrimas nos olhos quando nosso presidente anunciou a libertação de sua área. E ficamos todos sinceramente felizes por nossos colegas.

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

RELACIONADAS