GOIÂNIA

Vereadora defende “Menstruação sem tabu”

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

 

Tramita na Câmara Municipal de Aparecida de Goiânia projeto de lei de autoria da vereadora, Camila Rosa (PSD), que incentiva o Poder Executivo a instituir a Política Pública “Menstruação Sem Tabu” de conscientização sobre a menstruação e a universalização do acesso a métodos higiênicos.

 

Na prática, a matéria prevê uma série de ações que visam levar informações às mulheres sobre o ciclo menstrual, garantir o acesso a absorventes de baixo custo e combater o preconceito sobre esse processo natural do corpo feminino. “Hoje, até onde temos conhecimento, não temos pesquisas que revelem a situação dessas questões relativas ao tabu da menstruação e as situações dela decorrentes em nosso município, por isso precisamos de ações públicas que atendam nossas mulheres”, defende a vereadora.

 

O projeto também incentiva a realização de palestras e cursos, assim como todo o tipo de divulgação, elaboração e distribuição de cartilhas e folhetos explicativos que abordem o tema “Menstruação Sem Tabu”, voltados a todos os públicos, sexos e idades, objetivando desmistificar a questão e combater o preconceito.

 

“A menstruação não deve ser um assunto a ser evitado. Toda mulher saudável, que não está grávida e nem amamentando, menstrua. Vergonha, nojo, mitos e superstições ainda são comuns quando o assunto é o ciclo menstrual. Precisamos acabar com isso”, acrescenta Camila.

LEIA TAMBÉM  Coccidiose prejudica o ganho de peso das aves e o resultado econômico na avicultura de corte

 

A vereadora também defende a distribuição de graça de absorventes para mulheres em situação de rua, em presídios ou sob medidas protetivas e socioeducativas e de baixa renda, bem como a redução de tributos para baratear o produto. “Sabemos que são muitas as mulheres que não conseguem comprar nem alimentos básicos para casa, quanto mais um absorvente, por isso são obrigadas a utilizar métodos nada higiênicos, colocando a saúde em risco”, alerta a parlamentar.

 

Uma das saídas apontadas no projeto é a criação de cooperativas, microempreendedores individuais e pequenas empresas que fabriquem absorventes higiênicos de baixo custo.

 

Evasão escolar

 

Camila Rosa lembra ainda que o assunto é muito sério, os mitos, a falta de informação e os métodos incorretos de higienização levam muitas jovens adolescentes deixarem de frequentar a escola durante o ciclo menstrual. “Como especialista na área da saúde acompanhei uma grande evasão escolar de meninas que não iam à aula por vergonha de estarem menstruadas e por não terem como comprar um absorvente, algumas usavam panos, papel e outros métodos nada higiênicos. Como mulher e vereadora vou lutar para que todas tenham esse direito básico”, garante a vereadora.

LEIA TAMBÉM  Plataforma de pecuária leiteira apoia produtores a superar desafios da atividade de forma sustentável e lucrativa

 

O projeto já foi lido, passou pelas comissões temáticas da Câmara Municipal e deve ser colocado em votação ainda esta semana, depois segue para apreciação do prefeito, Gustavo Mendanha (MDB).

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

RELACIONADAS